Curso dos sonhos: Medicina!

19/08/2014 | | |

 

"Eu nunca fui daqueles que tinha muita confiança em mim mesmo. Querendo ou não, tinha aquela visão de menino nascido no interior, que sonha com medicina mas que sabe o quão distante ela podia estar, seja pela concorrência extremamente desumana que é um vestibular, seja pelo alto custo do curso. Nunca deixei de me preparar e tinha uma rotina de estudo, respondia algumas provas e sempre que dava olhava o noticiário, no entanto, convivia constantemente com a incerteza de estar ou não no caminho certo. A questão é que quando a gente menos espera, você abre a lista dos aprovados e o nome está lá. Confesso que fechei e abri a página duas ou três vezes e li o meu nome outras tantas vezes. Não podia acreditar. É uma das melhores sensações que experimentei, um alívio. Ufa, é essa uma interjeição que define tudo.
A partir desse dia minha vida passou por grandes mudanças: troca de cidade, morar longe de casa, conhecer novas pessoas. Era preciso me adaptar a uma vida nova, mas tudo isso era secundário, afinal de contas, eu estava indo atrás do que passei uma vida inteira desejando. Não é fácil, de inicío a gente já sente um peso maior, seja pela responsabilidade, seja pelo novo horário, seja pela carga de estudo. Anatomia, Bioquímica, Embriologia, Histologia... era tanta coisa para estudar. Mas estava feliz, cansado, mas ainda assim fascinado.
Às vezes eu me pego pensando na hipótese de fazer outra coisa, não mais fácil (pois nada é fácil), mas algo que me permitisse mais aproveitar tudo que gosto. Já perdi tantas tardes trancado no quarto que nem sequer posso contar e, também, nem posso imaginar as tantas outras que, certamente, estarão por vir. Trocar um fim de tarde por um quarto fechado não é muito atrativo. Só que no final acabo me convencendo que ter tudo na hora que se quer tira a graça das coisas, faz o sol inteiro parecer uma bola de fogo inútil e todos os desenhos feitos de nuvens tornarem-seapenas gotas de água condensada. E isso contrabalanceia tudo. 
Contudo, não tem como não amar tudo isso. Sou suspeito para falar, desde sempre quis cursar medicina, mesmo sem nenhuma influência. Já passou pela minha cabeça fazer outro curso, claro, mas sempre caio na medicina de novo. Sabia e sei que ela vai me realizar como ser humano. Na verdade, busco de alguma forma ser útil e vejo a medicina como uma possibilidade direta para fazer isso." 
(Filippi Castro, 19 anos, acadêmico de Medicina na ITPAC, pelo Programa Universidade para Todos - PROUNI) 

8 comentários:

  1. Fellipe como sempre arrasando. Parabéns e sucesso sempre nessa longa jornada da vida! Bjsss ...

    ResponderExcluir
  2. Que texto lindo! Sempre passou pela minha cabeça a dúvida entre Direito e Medicina mas acabei optando por Direito e hoje amo o que faço!

    Beijão

    http://umagarotaeseujeans.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A melhor profissão é a que amamos, essa é a verdade né?
      Bjoss

      Excluir
  3. Eu acho um curso muito bonito e acho que as pessoas que o escolhe muito corajosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tbm acho... Muita coragem e responsabilidade.

      Excluir
  4. Segue carreira! Medico! Sucesso!

    Jesus te Ama!

    ResponderExcluir

© Template por Design 4Bloggers - Todos os direitos reservados. imagem-logo