Editorial Amor

29/03/2014 | | |

Ao elaborar um editorial inúmeros questionamentos surgem em nossa mente, também é assim no amor. Tantas interrogações começam a habitar nosso ser, desde a escolha da cor, do personagem, a forma menos complexa de demonstrar um sentimento numa imagem, numa frase. O amor também é assim. Bem complexo. Foto nenhuma decifra, frase nenhuma define.
Imagine agora unir as duas coisas em uma só? Um editorial que transmita o amor... Um painel de inspiração cheio de borboletas, corações, flores, fogo, tempestade, surgem na memória e consecutivamente são colocados no papel. Músicas fluem na mente, poesias brotam... O amor é tão quente e frio que chega a perturbar a nossa racionalidade... Tão perto e longe, tão meio-termo.


Mais do que uma carta introdutória para abrir nosso editorial; aqui, abrimos o coração e deixamos o mais lindo dos sentimentos fluir. Porque o amor é como o processo de um editorial; quando encontramos a pessoa certa (o tema certo, no caso do editorial) as palavras brotam; a escolha da sequência das fotos é como a passagem do relacionamento, o amadurecimento dos atos; o fotógrafo é o tempo, registra os momentos, ao invés de expor  no papel ou na mídia, tatua na memória; o público-alvo é o eu e você, o nós; o produto é a alegria, a satisfação de adquirir um bem (nada material) que resistirá pelo longo da vida, pelos sorrisos e pelas lágrimas, se este for verdadeiro e reciproco. 
Ouvi dizer que o amor era água, abundante para alguns, de difícil acesso para outros. Não tenho porque discordar. Mas, se o pote estiver perto, devore-o. O amor é belo demais para usá-lo apenas quando der sede. Tome o máximo que puder; uma hora eliminamos do nosso organismo apenas o excesso, o que é de verdade, permanece, nos dar forças e supre nossas necessidades. Se o amor for água, o alicerce do nosso ser, tome cuidado, porque a mesma água que mata a sede, mata-o afogado. Mas, ei, não tenha medo de se afogar, é melhor morrer feliz do que viver no deserto. É melhor navegar na direção da felicidade, do que economizar as regadas da vida. 
E se o amor for água, vá com sede ao pote. 

**********

Espero que tenham gostado; este foi o primeiro texto elaborado por mim para um editorial; e como dizem, é a prática que leva a perfeição né?! Não esquecendo que, este editorial foi feito por mim e pela linda da Wendy Amorim, do Begônia de Chocolate, fotografado por ela eim?! :)) E com a participação linda, dessa modelo super princesa, Kaline Rodrigues! 

Beijo açucarado!

Um comentário:

  1. Nossa linda, que texto tão elaborado. É impressionante tua maneira de escrever, impossível de acreditar que seja um texto próprio, por tão profundo e poético que é.
    Parabéns pelo blog <3
    http://crista-descolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Template por Design 4Bloggers - Todos os direitos reservados. imagem-logo